A VIDA É O QUE FAZEMOS DELA!

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Resident Evil 4




















Resident Evil 4












Depois de começar como um título exclusivo para GameCube, "Resident Evil 4" comprou
passagem para o PlayStation 2 e promete reinventar o gênero horror e sobrevivência.

Fãs da série que acompanham a eterna luta entre os agentes da S.T.A.R.S. (e seus familiares e conhecidos) e a maligna corporação Umbrella ficaram ansiosos pela revelação de quem seria o protagonista do game e quais perguntas seriam respondidas. O escolhido foi o saudoso Leon S. Kennedy, o recém-recrutado policial de Raccoon City que observou em primeira mão os efeitos do vírus zumbificador.

"Resident Evil 4" se passa em 2004, seis anos depois dos eventos de "Resident Evil 2". De acordo com o enredo a corporação Umbrella teria desaparecido e, com ela, os zumbis. Leon é contratado como guarda-costas da filha do presidente dos EUA, mas antes de começar o serviço ela é raptada e levada para uma vila na Europa.

Lá, ele é caçado pelos habitantes locais - que não parecem ser zumbis, mas tentam matá-lo enquanto estão em transe. Essas pessoas não são burras como os antigos inimigos da série, porém, e estão armadas com diversas ferramentas usadas em fazendas. Fãs dos mortos-vivos não precisam se preocupar - eles estão no game... mas agora é mais difícil dizer quem vai ajudar e quem vai matar você.

A nova versão oferecerá diferentes opções de câmera. O padrão coloca Leon ocupando o canto esquerdo da tela e acompanhando ele muito próximo, oferecendo algo semelhante ao visto em "Splinter Cell", mas com toda a versatilidade de um jogo de tiro em primeira pessoa - apesar do controle permanecer quase inalterado.

Como o protagonista ocupa boa parte da tela, o jogo deve rodar apenas com tela de cinema, em formato 16x9. Se a sua televisão não for Widescreen, o software deve rodar com faixas pretas para simular esse formato. A nova tela traz energia e quantidade de balas sem a necessidade de abrir um menu.

Leon terá alguns bons truques à sua disposição - o mais prático deve ser a adição de um botão de ação, que permite ao herói realizar tarefas como saltar por janelas, empurrar escadas cheias de inimigos ou até chutar oponentes para ganhar tempo.

Como a mira poderá ser feita com uma precisão muito maior devido à câmera, será possível acertar partes específicas do corpo dos inimigos, causando reações diferentes. Esses truques serão bem úteis: os habitantes locais que se provarem hostis (nem todos são) podem arremessar suas armas, cabendo a Leon se desviar ou acertar elas com um tiro no ar.

Os gráficos impressionam, com rostos tão detalhados quando os do remake do primeiro "Resident Evil", fundos totalmente tridimensionais e muitos inimigos na tela ao mesmo tempo. Uma surpresa para os fãs da série: nada de vídeo pré-renderizado - será tudo feito no mecanismo usado na parte interativa.

A espera extra pelo jogo - "Resident Evil 4" sai no GameCube com quase um ano de antecedência - será compensada com conteúdo. Entre as novidades exclusivas para PlayStation 2 estão novas roupas para os personagens, arsenal ampliado e algumas cenas não interativas inéditas

Nenhum comentário:

Postar um comentário