A VIDA É O QUE FAZEMOS DELA!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

O Jantar


Andava apressado, não poderia perder o metrô, ou teria problemas com Elena; ela andava alienada ultimamente, com idéias estranhas...talvez fosse o recente parto de Julie, tão linda, mas a deixava inquieta e perturbada.


Cheguei na hora do jantar e Elena disse:

- Lave-se, o jantar está quase pronto.

O cheiro estava delicioso e antes de banhar-me, fui brincar com meu velho amigo Max, um belga à muito da família, não o encontrei....deve ter fugido, de novo, para namorar...logo voltará!....bem, Julie àquela hora dormia e resolvi dar-lhe o beijo de boa noite, quando fosse dormir também.

Elena estava mais estranha que "o normal", serviu-me ensopado de carne com legumes que devorei faminto; ela olhava fixamente a pia e, para puxar conversa, perguntei do Max. Ela disse:

- Aqui. ....

- Aqui?? onde?? ( não o vira ao chegar ).

Só então reparou na pia que a mulher insistentemente olhava, levantou-se horrorizado, sangue manchava toda superfície da pia, caiu ajoelhado, vomitando e, aos berros, perguntou:

- O que fez?!

Pensamento terrível ocorreu-lhe, correu desesperado para o quarto da pequena Julie que...dormia como anjo que era. Trancou a porta do quarto da filha e ligou para John, irmão de Elena....voltou para a cozinha, Elena, de pé, mantinha as mãos na pia, naquele rubro mar sanguineo....aproximou-se mais e ...oh! horror!!!...na pia a cabeça de Max, lingua estirada para fora, olhos vazios....olhou, aterrado, do cão para a mulher, ela agora com um cutelo nas mãos sangrentas, ia na direção do marido petrificado dizendo:

- Preciso terminar o jantar!



Adriana La Terza

Nenhum comentário:

Postar um comentário