A VIDA É O QUE FAZEMOS DELA!

sábado, 14 de novembro de 2009

Lâmia - Mito

Lâmia
Quem é Lâmia, e o que é ela ?
As lâmias (do grego laimos, "garganta") eram seres imaginados pelos gregos como mulheres belas e fantasmagóricas, que devoravam crianças ou que, com artifícios sensuais, atraíam os jovens a seus leitos para devorá-los ou sugar-lhes o sangue. Presume-se que podiam tomar forma humana, mas supunha-se que, ao atingir seu objetivo, retornavam à sua forma verdadeira de mulher-serpente, ou de uma besta quadrúpede e feroz. Na Alta Idade Média, o termo lâmia referia-se a espíritos que voavam a noite, do folclore popular. Depois de 1450, as lâmias começaram a aparecer em tratados inquisitoriais de feitiçaria, referindo-se a feiticeiras. Alguns deles derivavam erradamente seu nome do latim laniare ("lanhar"), porque as bruxas, segundo os autores, devoravam carne humanaE tambem;É possível que Lâmia fosse originalmente um monstro marinho semelhante a um tubarão - em grego, a palavra lamia refere-se também a um tubarão grande e solitário. Nos mitos gregos e medievais, porém, as lâmias são geralmente representadas como belas mulheres da cintura para cima e serpentes da cintura para baixo. No século XVII, as lâmias foram também descritas como seres quadrúpedes, com garras nas patas da frente, cascos nas patas traseiras, cobertos de escamas, com cabeça e seios de mulher e pênis de homem (embora fossem fêmeasLamias no folclore grego moderno No folclore da Grécia moderna, Lâmia é uma ogra suja, estúpida, glutona e antropófaga que vive em uma casa ou torre remota, come carne humana e tem habilidades mágicas. Nos contos de fadas, o herói precisa evitá-la, enganá-la ou cair em seu favor para conseguir algum objeto mágico ou informação crucial. Em alguns contos, a lâmia tem uma filha que também é mágica e ajuda o herói, eventualmente apaixonando-se por ele. Em grego moderno, a expressão "της Λάμιας τα σαρώματα" ("varrida de Lâmia"), refere-se a negligência e desmazelo e se diz "τό παιδί τό 'πνιξε η Λάμια" ("a criança foi estrangulada pela Lâmia") para a morte súbita de uma criança no leito. Lâmia na Bíblia Na Vulgata, a tradução da Bíblia por São Jerônimo, o nome de Lilith foi traduzido por Lâmia em uma passagem do livro de Isaías, 34:14: "Nela (a terra de Edom) se encontrarão cães e gatos selvagens, e os onocentauros chamarão uns pelos outros; Lâmia freqüentará esses lugares e neles encontrará o seu repouso". Lâmias búlgaras No folclore búlgaro, a lâmia é uma criatura com muitas cabeças, que crescem outra vez se forem cortadas. Vive em cavernas ou no subsolo e atormenta os povoados alimentando-se do sangue das pessoas ou matando mulheres jovens. Em algumas historias tem asas, em outras, sua respiração é de fogo. E como disse nosso amigo Renato;Segundo um mito, Lâmia foi originalmente uma rainha da Líbia, filha de Poseidon e Líbia, com quem Zeus teve relações. Hera, enciumada, a transformou em monstro e matou a seus filhos (exceto Cila e Aquileu, segundo algumas versões) e a condenou a não poder fechar os olhos de forma que sempre estivesse obsedada pela imagem dos filhos mortos. Zeus amenizou seu sofrimento dando-lhe o poder da profecia e a capacidade de tirar e pôr os olhos quando quisesse descansar, mas Lâmia invejava as outras mães e devorava seus filhos. Na Vida de Apolônio, de Filóstato, conta-se que, em Corinto, uma lâmia tomou a forma de uma fenícia bela e rica, rodeada de servos e tesouros ilusórios, para seduzir Menipo, discípulo de 25 anos do profeta pagão Apolônio de Tiana. Na véspera do casamento, Apolônio a reconheceu e denunciou, obrigando-a a desfazer seu disfarce e confessar que pretendia devorar o belo Menipo. Nas Metamorfoses, de Antoninus Liberalis (século II), Lâmia, também chamada Síbaris, era uma mulher-serpente que vivia em uma caverna do monte Crífis e dizimava homens e rebanhos de Delfos, na Fócida, até ser morta por um herói chamado Euríbaro. Apaixonou-se por um jovem chamado Alcioneu, que ia ser sacrificado ao monstro e ofereceu-se para ser levado em seu lugar. Ao chegar à caverna, agarrou Lâmia e a jogou das rochas. Onde ela tombou, surgiu uma fonte conhecida como Síbaris, que mais tarde deu nome a uma cidade da Itália.






O mito fala-nos da vingança de Hera sobre a jovem Lâmia, rainha da Líbia, amante de Zeus. Hera não só matou os seus filhos, como a privou de poder algum dia fechar os olhos. Deste modo, Lâmia nunca poderia esquecer a visão terrível dos filhos mortos. Zeus, apiedando-se do seu sofrimento, permitiu-lhe que ela pudesse livremente remover e recolocar os olhos. Lâmia passou a invejar todas as mães felizes, roubando-lhes os filhos e alimentando-se deles. Para poder descansar, Lâmia, após colocar os seus olhos num balde, embriagava-se. A cultura helénica designava por Lâmias os espíritos femininos que se agarravam aos jovens e lhes sugavam o sangue. Como é evidente, o tema era ideal para a literatura gótica...





A mitologia Basca também conta com suas Lamias. Estas eram seres com aspecto humano feminino, algumas vezes tem pés ou garras de aves, outras assemelham-se com sereias com cauda de peixe. Elas vivem nos rios, onde passam a maior parte do tempo penteando seus belos cabelos. Elas são pacíficas e só se enfurecem caso tentem roubar seus pentes de ouro. As Lamias podem eventualmente ter relações com humanos e até ter fihos. Apenas não podem casar, pois não conseguem pisar em solo sagrado.
Na mitologia búlgara as Lamias se assemelham a Hydras. Possuem várias cabeças e se cortadas, nascem outra no lugar. Se alimentam de sangue e tem preferência por mulheres. Em algumas histórias elas tem asas. Em outras soltam fogo pelas ventas. Não tem sexo definido, mas eventualmente são descritas como mulheres.
Também podemos achar algumas referências a Lamia em algumas traduções antigas da bíblia onde chamam Lilith, a primeira mulher de Adão, de Lamia. Não conhecem essa história? Pois saibam que nas versões antigas dos textos que originaram o Gênesis, Deus criou um homem e uma mulher de barro e sopro. Ao homem chamou de Adão e a mulher foi chamada de Lilith (ou Lamia). Porém Lilith tinha um gênio forte e não se rendia à submissão de Adão. No sexo, ela sempre questionava por que tinha que ficar sempre por baixo. Lilith foi a primeira feminista da história! Se foram criados iguais, ela queria ser igual. Mas ela criou tanto problema que Deus a amaldiçoou e a expulsou do paraíso fazendo uma nova mulher da costela de Adão, chamada Eva. Assim ela seria submissa a ele. Se foi expulsa por pelo malvado Deus só por querer ser igual, ela não teve dúvidas. Encontrou conforto junto aos demônios e se tornou uma das esposas de Samael, um anjo caído. Lilith foi eliminada aos poucos das versões bíblicas atuais e hoje apenas algumas fazem uma referência a ela em Isaias 34:14. Mas ficou tão sem sentido que a maioria das traduções tirou essa referência.













































Nenhum comentário:

Postar um comentário