A VIDA É O QUE FAZEMOS DELA!

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Tráfico Humano - até onde pode-se bestializar o Homem



Tráfico humano


Em todo o mundo, aproximadamente 2,5 milhões de pessoas - homens, mulheres e crianças - são vítimas de tráfico humano. E, segundo o Informe Global da Organização Internacional do Trabalho (OIT), pelo menos um terço dessas pessoas são vítimas de tráfico por motivos econômicos. A exploração sexual, portanto, não explicaria por completo o problema, apesar de ser responsável por uma grande parte dos casos.

A redução das oportunidades de trabalho em países pobres somando-se ao aumento da aspiração de consumo das populações têm tornado cada vez mais tentadora a migração para países ricos ou mais desenvolvidos, alerta a OIT. Segundo a entidade, existe uma demanda permanente de mão-de-obra disposta a aceitar postos de trabalho pouco seguros, de baixa remuneração

A OIT produziu uma pesquisa com 300 pessoas, vítimas de trabalhos forçosos, que haviam migrado de países do leste europeu - Albânia, República de Moldova, Romênia e Ucrânia - para nações como Alemanha, França, Japão, Hungria e Reino Unido. O trabalho forçado predomina nos setores em que existem muitas relações informais de trabalho. Segundo o levantamento, 43% dos entrevistados haviam sido submetidos a coação em setores como trabalho doméstico, nas pequenas indústrias e restaurantes e na produção de alimentos.

Ainda segundo a pesquisa, 23% dos entrevistados foram obrigados a se prostituírem. Outros 21% dos que migraram do Leste Europeu tiveram como destino o setor da construção civil e 13% a agricultura.

Na avaliação da OIT, a falta de informações sobre a oferta de trabalho no estrangeiro e o fato de que os imigrantes dependem de intermediários são fatores importantes que levam ao trabalho forçoso. "Imigrantes que conseguem obter êxito recorrem normalmente mais a meios legais ou a pessoas de confiança, enquanto que a maioria das vítimas de trabalho forçoso cai nas garras de intermediários que se aproveitam da ignorância dos migrantes", diz o Informe Global.








O Brasil, apesar das divulgaçãoes escusas e dúbias, sobre a melhora na condição de vida da população, demonstra claramente seu desinteresse pelos deseperados, famintos que enxergam neste caminho o alívio de suas dores, e acabam caíndo em armadilhas, muitas vezes mortais fora de seu referencial de família, amparo....O Brasil é um dos maiores "exportadores" de seres humanos para utilização sexual....e este comportamento não parece chocar, pois ocorre dentro do próprio Pais.....a infância, e a vida de muitas outras pessoas está sendo destroçada e nada é feito......o pior...caiu na normalidade, infelizmente!






Uma informação preocupante divulgada pelo documento é de que a exploração dos imigrantes contagie também as grandes empresas e o setor público. Segundo a OIT, trabalhadores são recrutados em seus países de origem com a promessa de que vão ter um emprego no país de destino, mas os contratos de trabalho estabelecem condições completamente diferentes. Os trabalhadores se endividam no processo de recrutamento, com as despesas da viagem, com a obtenção do visto, com aluguel, e quando recebem o salário, não conseguem pagar as dívidas, ficando reféns dos exploradores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário